Como atribuir limites de crédito?

Neste post vamos discutir os principais métodos relacionados à como atribuir limites de crédito, utilizados pela maioria das empresas de mercado.

Afinal, qual o objetivo do limite de crédito?

O grande objetivo dos limites de crédito é determinar o risco máximo que um credor está disposto a tomar com determinado cliente. Assim sendo, garantir a qualidade dos recebíveis, mitigando impactos ao ativo da empresa.

As soluções podem variar muito entre empresas credoras em função das características de sua atividade, mas os métodos ã seguir dão um excelente indicador sobre este tema.

Vamos a eles!

Como atribuir limites de crédito pelo método discricionário?

Este método para atribuir limites de crédito é baseado nos famosos 5 C´s de crédito.

Baseia-se, quase sempre, em informações cadastrais e na vivência do encarregado pela concessão do crédito na empresa.

O método discricionário possui limitações em casos onde o alto número de análises pode reduzir a qualidade do processo. Até mesmo, pode-se perder venda pelo prazo da análise em caso de demora.

Nesta metodologia, além de o analista decidir se aprova ou não o pedido, também pode determinar novo limite de crédito para o cliente.

Mas atenção: Em alguns casos não existem alternativas ao método discricionário.

Como atribuir limites de crédito pelo método contábil?

Este método, também conhecido como análise financeira, baseia-se em dados de balanço para determinar o limite de crédito de um cliente.

Sendo assim, este processo atribui uma “nota” à empresa analisada, fundamentada em seus índices de balanço.

Existem índices que quanto mais elevados, melhor a situação da empresa (índices de liquidez seca, liquidez corrente e rentabilidade sobre o Patrimônio Líquido).

Entretanto, também existem outros os quais, quanto mais elevados (endividamento financeiro e o grau de imobilização), pior a situação da empresa.

Geralmente, o limite de crédito é estabelecido como uma porcentagem do patrimônio líquido do proponente, obtido em função da nota obtida pelos critérios descritos e de seu conceito comercial.

Para isto, deve-se segui um o processo abaio:

  • Calcula-se a nota da empresa considerada como sendo o melhor cliente da companhia e verifica-se o risco que a empresa tem ou já teve com este cliente.
  • Em seguida, identifica-se a nota da empresa abaixo da qual todas as empresas apresentam inadimplências. Assim sendo, atribua um limite de crédito igual a “zero” para este cliente.
  • Calcular a nota para o cliente cujo limite de crédito se quer calcular.
  • Por interpolação, calcular o limite de crédito do novo cliente em função de seu patrimônio Líquido.

Como atribuir limites de crédito pelo método da análise discriminante?

O termo discriminar significa “estabelecer a diferença, distinguir”.

Com efeito, a análise discriminante é uma metodologia estatística que permite, dentro de um certo grau de certeza, dizer se um determinado elemento pertence ou não a um determinado grupo.

Desta feita, se comparam as curvas de distribuição de uma determinada característica em grupos e calcula o coeficiente de correlação que existe entre eles.

Como atribuir limites de crédito pelo método de classificação de clientes?

Esta metodologia busca classificar os proponentes dentro de determinados critérios de forma a que:

  • Clientes com conceitos diferentes não recebam o mesmo tratamento na hora da determinação de seu limite de crédito;
  • Clientes dentro de um mesmo grupo risco de risco não recebam tratamentos diferentes quando da determinação do limite de crédito.

Sendo assim, o objetivo final deste processo é a classificação dos clientes em categorias de acordo com o risco de crédito que representam.

Como realizar o acompanhamento dos limites de crédito?

O objetivo do acompanhamento dos limites é fornecer informações de forma ordenada sobre a concessão e utilização dos valores concedidos.

Só para exemplificar, abaixo seguem alguns pontos acompanhados neste processo:

Limite aprovado

Representa o risco máximo que a empresa está disposta a correr com um determinado cliente.

Limite utilizado

Soma das duplicatas sacadas contra o cliente e que se encontram em aberto na data do relatório acrescidas do valor dos pedidos aprovados e pendentes.

Limite disponível

Representa a diferença entre o limite aprovado menos o limite utilizado.

Média faturamento mensal

Média dos faturamentos mensais contra o cliente nos últimos 6(seis) meses. Caso o cliente somente tenha comprado nos últimos dois meses então será a média dos últimos dois meses, e assim por diante.

Fatura média

É a soma de todas as faturas emitidas contra o cliente em um determinado período divididas pelo número de faturas no período.

Maior atraso

É o maior tempo decorrido entre a data de vencimento e a data de pagamento de uma fatura.

Atraso médio

É a soma de todos os atrasos divididos pelo número de faturas pagas. As faturas pagas em dia são incluídas no cálculo com atraso igual a zero.

Em caso de liquidações parciais, o atraso é representado pelo número de dias decorridos entre a data de vencimento original e a data de liquidação do saldo remanescente.

Qual o impacto do prazo de pagamento nos limites de crédito?

O limite de crédito concedido também é afetado pelo prazo concedido ao cliente para liquidar os seus títulos.

Neste caso, se o limite de crédito não for ajustado em função de um maior prazo de pagamento, o credor estará, automaticamente, limitando a capacidade de compras mensais do cliente.

É preciso, portanto, criar uma fórmula que reajuste o limite de crédito em função do prazo de pagamento concedido ao cliente.

Geralmente, este ajuste é feito pela equação abaixo:

Limite Disponível = Limite concedido – Limite utilizado + Duplicatas ativas com mais de 30 dias.

Nesta fórmula as seguintes expressões possuem os seguintes significados:

  • Duplicatas ativas: são duplicatas em aberto que não estejam vencidas.
  • Duplicatas com mais de 30 dias: são duplicatas cujo prazo compreendido entre a data de sua emissão e a data do novo pedido seja igual ou superior a 30 dias.

Conclusão

Os métodos de atribuição dos limites de crédito são vários e devem variar conforme a necessidade e características de cada empresa. Analise cada um deles e selecione que mais se adequar à sua necessidade.