Origem da inadimplência nas empresas

A dificuldade de recebimento de suas vendas incomoda muitas empresas, porém muitas vezes a origem da inadimplência se encontra no modo como a empresa faz negócios.



De fato, quando os atrasos nos recebimentos ultrapassam os limites seguros, como consequência, a maioria das empresas aumenta suas ações de cobrança.

Neste post vamos abordar a origem da inadimplência a partir de:

  • Causas externas: originadas de fora da empresa;
  • Causa internas: geradas a partir do modus operandi da empresa.

Por que identificar a origem da inadimplência?

Inegavelmente, intensificar a cobrança é uma ação fundamental, porém não resolve sozinha o problema da inadimplência.

Por isso é importante lembrar que a cobrança atua sobre a inadimplência que já aconteceu. Sendo assim, é uma ação reativa.

Se a empresa deseja realmente reduzir sua inadimplência de forma perene e sustentável, deve agir sobre sua origem, ou seja, sobre seu processo de venda.

Qual o impacto da inadimplência nas empresas?

Nem é preciso justificar! Afinal, todos sabemos o quanto a inadimplência pode prejudicar o bom andamento de uma empresa.

Entre os possíveis impactos, podemos ressaltar:

Impacto no fluxo de caixa

Se a empresa não pode contar com os recebimentos planejados, toda a cadeia de atividades fica prejudicada. De fato, estes recebíveis são o combustível para todas as outras atividades da empresa.

Impacto na lucratividade da empresa

Normalmente, as empresas incluem uma previsão de inadimplência em seu processo de precificação. Uma vez que os não pagos excedem o planejado, a diferença é retirada diretamente da margem de lucro, podendo até inviabilizar a empresa.

Impacto da fidelização dos clientes

Quando clientes inadimplentes demoram muito para quitarem suas dívidas, as taxas e multas podem até inviabilizar o pagamento.

Por consequência, o relacionamento com este cliente fica prejudicado, certamente prejudicando novas vendas.

Quais são as causas externas da inadimplência nas empresas?

É claro que a inadimplência pode ser resultado de causas externas às empresas, como crise ou desemprego.

Porém, muitas destas causas não aparecem da noite para o dia. Sem dúvida, nestes casos existe uma conjuntura que vai se deteriorando.

Se a empresa não monitora seu ambiente de negócios, pode até se ver atuando em condições adversas, mas não pode se dizer surpresa.

Inegavelmente, em casos como este, o que faltou foi uma perspectiva sobre os possíveis ameaças e falta de ajuste em seu modo de operar.

Entre causas externas, também como considerar aquelas não passíveis de serem previstas.

Um bom exemplo seriam as catástrofes naturais. Enchentes muito severas, por exemplo, que impactam fortemente moradores de determinadas regiões.

Quais são as causas internas para a inadimplência nas empresas?

As causas internas para alta da inadimplência são aquelas que têm origem dentro da própria empresa.

Geralmente, resultam de processos inadequados ou opção por assumir riscos com clientes com capacidade de pagamento ou saúde financeira duvidosa.

Entre os processos inadequados que podem dar origem à inadimplência, podemos citar como exemplos:

  • Treinamento de equipe de vendas e análise de crédito;
  • Sistemas ou tecnologia ultrapassada;
  • Informações cadastrais desatualizadas;
  • Processos de análise de crédito inadequadas;
  • Políticas de crédito defasadas;
  • Exigência de garantias insuficientes ou frágeis;
  • Erros na formalização dos processos.

Nós já tratamos deste assunto no post “Qual a maturidade do seu processo de cobrança?“, onde discutimos características de cada um dos níveis em uma operação de recuperação de crédito e gestão da inadimplência.

Conclusão

Sempre repetimos que não existe negócio sem risco. E inegavelmente estamos vivendo um momento de inadimplência alta nos negócios.

De acordo com a Serasa Experian, em março de 2019 a inadimplência bateu recorde histórico, atingindo 63 milhões de consumidores.

Tomar risco através da venda a prazo faz parte do jogo e deve ser encarado como algo normal.

Entretanto, a forma como sua empresa encara a tarefa de mitigar este risco é o que, em última instância, determina o tamanho da inadimplência que sua cobrança vai ter que encarar.

Recomendamos fortemente que as empresas façam uma auto avaliação de sua maturidade em tomar risco com clientes novos ou antigos.

Mais do que nunca, conhecer a origem da inadimplência de sua empresa é fundamental. Afinal, ninguém quebra por falta de vendas, e sim por falta de caixa.